Usuários do Facebook contra-atacam as censuras do site depois que suas páginas foram removidas

Por Charlie Nash [*]

Um grupo de cerca de mil donos das maiores páginas do facebook procuram impedir o aumento da censura do site.

“Perdi 4,3 milhões de curtidas em uma de minhas páginas com um alcance de cerca de 183 milhões diariamente, e eu estava ganhando aproximadamente 15 mil fãs semanalmente”, afirmou o dono de página Jason Karpowich, que alegou perder por volta de quatro outras páginas com 1 milhão de curtidas cada, e por volta de 50 com o número entre 100 mil e 500 mil curtidas. No geral, com todos os expurgos de páginas do Facebook, perdi por volta de 12 milhões de fãs e com a perda destas páginas, algumas famílias perderam seus rendimentos devido a estes expurgos/despublicações.”

“Tentamos contatar o Facebook por meses em vão”, ele continua. “A única resposta que você tem é de um bot e uma auto-resposta, então formamos um grupo chamado #PowerToThePages(Poder para as páginas) para unir os donos de páginas do Facebook.”

O empreendedor de mídias sociais e dono da WTF MagazineJason M. Fyk, que também faz parte do grupo #PowerToThePages, disse ao Breitbart Tech que o expurgo das páginas do Facebook significou que ele teve que abandonar antigos empregados e repensar os passos de seu negócio depois que foi reduzido o seu tráfico substancialmente. Ele foi sancionado pelo site até mesmo por postar uma imagem do Peter Griffin do desenho ‘Uma Família da Pesada’ dançando enquanto segurava seus seios masculinos digitais.

“O Facebook literalmente salvou minha vida. [Sem ele] não estaria onde estou agora na vida e por isto agradeço ao Mark Zuckerberg diretamente, mas mantenha nossa liberdade de pensamento e expressão”, disse Fyk, que disse costumar fazer cerca de 275 mil dólares em um mês pelo seu negócio com a página do Facebook. “O Facebook se tornou algo muito maior do que apenas um negócio. A vida das pessoas são afetadas por ele. Ele sustenta pais solteiros e dá para algumas pessoas os meios para expressar quem eles são. Você está ferindo as famílias tanto daqueles que postam quanto daqueles que vêem o nosso conteúdo. Por favor, reconsidere sua posição sobre conteúdos, pois o Facebook é importante para todos nós.”

Como a revolta das páginas de memes no início deste ano, que incluiu algumas das maiores páginas de memes do Facebook, #PowerToThePages busca aumentar a percepção da censura que está atualmente acontecendo na plataforma.

“Por um grande período de tempo, o Facebook tomou a responsabilidade de perturbar donos de páginas ao retirar páginas por razões vagas, a mais comum sendo spam ou comunicações comerciais não autorizadas.”, disse Karpowich em uma petição online para o Facebook, que foi assinada por cerca de 2.200 pessoas. “ Isto acontece com páginas de todos os tipos, alguns com imagens que têm texto, outras com fimagens sem texto, páginas direcionadas a mulheres, páginas direcionadas a vida no campo, páginas direcionadas a homens, todo tipo de páginas.”

Há as vezes uma opção para se recorrer, mas nunca a opção de falar com uma pessoa de verdade, sempre é uma resposta gerada por computador. Não temos como saber exatamente o que estamos fazendo de errado, nem nos é dada a chance de corrigir.

Entendemos que páginas não agradarão a todos, isso é simplesmente impossível. Nem deveríamos ser responsáveis por fazê-lo, isto não é requerido na comunicação feita em nenhuma outra mídia social.

Em um intervalo de 3 semanas, cerca de 300 páginas foram excluídas com a mesma razão genérica, com uma base total de cerca de 24 milhões de fãs, então de fato o próprio Facebook tirou um canal de comunicação de 24 milhões de usuários sem aviso e sem uma justificativa apropriada e nem mesmo uma pessoa real para falar no sentido de tentar resolver o problema. Páginas são criadas para aproximar pessoas com os mesmos gostos ou aversões, hobbies, crenças, questões, ou interesses na mente. Por páginas serem públicas, alguém que não compartilha dos mesmos interesses pode ir à página e reclamar simplesmente, porque eles são cheios de ódio ou preconceito, e nós como donos de página ficamos a sua mercê. Não temos controle sobre pessoas que podem não gostar de nossa página da vida no campo vir a nossa página e denunciar a imagem de uma cabana de madeira com chifre de veado e reclamar de exploração animal. Ou um homem raivoso que não gosta de mulheres empoderadas reclamado em uma página de direitos das mulheres.

O Facebook é feito para unir as pessoas e fan pages são uma parte intrincada da experiência no Facebook, como donos de páginas, nós observamos o que nossos fãs gostam e interagimos com nossos fãs para encontrar o melhor conteúdo para eles, comentamos e até mesmo respondemos a perguntas pessoais em nossas caixas de mensagens. Algumas páginas são sistemas de apoios a famílias com crianças com necessidades especiais, ou mães que apenas precisam espairecer depois de um longo dia com crianças gritando e dar uma boa risada. Quando tiramos isso de bilhões de usuários no Facebook por causa de alguns que não conseguem simplesmente se manter no que gostam, isto transforma o Facebook em um ditadura, e pessoas irão para outro lugar onde suas vozes podem ser ouvidas.

Como donos de páginas podem se comunicar apropriadamente com o Facebook, quando não podemos nem mesmo falar com quem quer que seja a qualquer momento? Como podemos manter o Facebook como o melhor lugar para unir pessoas, se toda a comunicação criativa para todos os seus usuários estão sendo eliminadas?

Gostaríamos de formar um comitê de DONOS DE PÁGINAS e ter um representante do Facebook que possamos contatar para discutir preocupações e questões. Ao invés, há uma resposta gerada por computador.

“Colocamos nossos corações e almas em nossas páginas, trabalhamos incansavelmente durante horas criando e cativando nossos fãs”, disse Debbie Beutel, uma dona de página que perdeu muitas fan pages e páginas de comédia na plataforma. “O Facebook começou limitando nossos posts para os fãs drasticamente. Alguns posts simplesmente alcançavam menos do que 10% de nossa base de fãs. Então, ter todo nosso trabalho duro arrancado de nossas mãos é difícil, especialmente vendo que a maioria de nossas páginas seguiam os termos de serviço.”

“Com minha página, pelos últimos 4 anos ajudei famílias no Natal”, ela continuou. “Tenho recebido doações de fãs e tenho conseguido ajudar até quatro famílias a comprar presentes de Natal. Muitas outras páginas fizeram o mesmo, fãs me contaram o quanto sempre significou para eles, e agora acabou… Sei que quatro famílias não é muito, mas é alguma coisa…”

Mesmo uma página com a finalidade de apoiar pais e filhos adotivos que podem estar traumatizados pelo divórcio foi removida, com uma segunda página sendo formada logo depois da primeira ter sido derrubada.

“Minha página ajudou milhares de famílias com filhos de outro relacionamento a se unir para perceber que eles precisam se dar bem para o benefício das crianças. Crianças são o que importa. Eles são aqueles, que na maioria dos casos, mais se machucam”, declarou um dono de página, que queria permanecer anônimo. “Pais adotivos lidam com todo tipo de negatividade dos pais de nascença, especialmente se você é mãe adotiva. Minha página ajudou a evitar que crianças adotivas cometessem suicídio, padrastos de cometerem suicídio, pais de nascença de cometer suicídio.”

A página original tinha cerca de 50.000 curtidas antes de ser eliminada pelo Facebook. A segunda encarnação tinha menos do que 500.

Devin Shire, um dono de página do Facebook e membro da revolta das páginas de memes no início desse ano, foi sancionado na rede social depois de postar uma imagem cômica do rapper Drake transformado em um controle de Nintendo 64.

“Originalmente tínhamos somente minha página Young Thugga La MemeEverything Is A Social Construct, outra página que administro Chair MemesDigiannantonio Aesthetic, and Kevin 3, acredito, então fomos buscando todo mundo que conhecíamos que tinham páginas e eles buscaram todos os outros administrador de página que eles conheciam”, disse Shire em Agosto a respeito da revolta. “Não foi fácil tentar falar com algumas páginas que estavam afastadas disto, pois muitas delas temiam uma reação que poderiam receber do Facebook por tentar apoiar esta causa.”

Como o movimento #PowerToThePages, a revolta de Shire incluiu muitos donos de páginas afeitados e colheu apoio dos maiores criadores de conteúdo, como o “POLANDBALL”, que tem cerca de 330.000 curtidas, “I play KORN to my DMT plants, smoke blunts all day & do sex stuff”, que tem cerca de 125 mil curtidas, e “I’m sad and I listen to Loveless every night”,  que tem cerca de 60 mil curtidas.

[*] Charlie Nash. “Facebook Content Creators Fight Back Against Site Censorship as Pages Removed”. Breitbart, 29 de Dezembro de 2016.

Tradução: Pedro Henrique

Revisão: Rodrigo Carmo

1 comentário

  • Marcelo

    A única solução – concorrência.
    Se não houver outro meio, o Facebook terá o poder de fazer isso.
    Quem irá impedir?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *