Quem matou as ciências humanas?

O que aconteceu com as Artes Liberais no mundo? Um diploma na área de humanas costumava transmitir o conhecimento e sabedoria incutidos nos trabalhos dos grandes pensadores, músicos, escritores e artistas do ocidente (Shakespeare, Mozart etc.). Mas hoje, esse mesmo diploma destaca o racismo, sexismo, imperialismo e outros males e pecados do ocidente, que reforçam a percepção de vitimização e narcisismo. Então, o que aconteceu? Heather Mac Donald, do Manhattan Institute, explica.

Tradução: Fernando Henrique Freitas
Revisão: Hélio Costa Jr

3 comentários

  • Rodrigo Fernando

    Aqui no Brasil, cursos de humanas, em geral, são ministrados por professores doutrinados ideologicamente em políticas esquerdistas. O aluno das faculdades brasileiras não quer aprender, quer obter o pedacinho de papel em que diz que ele tem educação superior e se sentir aceito nas trupes que lhe interessam. A universidade deixou a muito tempo de ser criadora de conhecimento, de pessoas inteligentes; o que se tem hoje é uma verdadeira lobotomia no sentido de uniformizar o pensamento em torno de questões pessoais e ideológicas; o conhecimento, os fatos, a história, isso não precisa ser aprendido. As faculdades não querem seres pensantes, querem estudantes politicamente corretos, engajados em causas sociais e fazendo justiçamento social. Eu estudei na Universidade de Brasília, universidade federal pública, contudo não me orgulho de nada disso porque sei muito bem hoje que aquela patacoada ideológica suplantou a busca do conhecimento; não se busca mais conhecimento para se tornar sábio; a universidade já faz um bom tempo é um antro de troca de ideologias e políticas esquerdistas e não havendo embates, debates, as discussões perdem a profundidade, tornam-se apenas trocas de idiossincrasias a respeito dos fatos. A produção de conhecimento nas universidades do Brasil é irrisório, irrelevante, por isso que não existe praticamente nenhum brasileiro que seja referência em nada, não se fala do Brasil a serio no meio científico; enquanto isso os funcionários públicos de carreira (alguns chamam esses trabalhadores de professores) continuam no mundinho de fantasia socialista, cooptando o máximo de idiotas uteis para a causa.

  • Amanda

    Olá, vocês podem indicar algum livro de ciências humanas e sociais que não tenha um esquerdopata como autor?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *