Política esquerdista canadense visita mesquita para pregar igualdade, mas é posta num canto por ser mulher

A recente visita da política esquerdista canadense Kathleen Wynne’s virou notícia – mas provavelmente por razões que ela não esperava.

Wynne – conhecida no Canadá por ser uma manifesta lésbica e feminista – alegadamente visitou a mesquita com o intuito de mostrar solidariedade para com a comunidade muçulmana canadiana, após um tiroteio que matou seis pessoas numa Mesquita em Québec.

Antes da sua visita, de acordo com o The Toronto Star, Wynne discursou para uma audiência sobre o tópico da imigração.

“Nós não somos diferentes. Somos iguais; tirando as comunidades indígenas, cada um de nós veio de outro sitio. Viemos de outro país, de outro lugar, para construir esta sociedade aberta.”

Infelizmente para Wynne, os homens que encontrou na mesquita não pareciam compartilhar as mesmas idéias ela em relação à igualdade.

De acordo com o LouderWithCrowder.com, à medida que os homens começaram a rezar, Wynne – a política de maior nível hierárquico na província de Ontario – foi forçada a ficar no canto.

O JihadWatch.org explica isto com a seguinte declaração.

Isto simplesmente vai de acordo com a lei islâmica, visto que muitos hadiths seguem um dos ensinamentos de Maomé, que afirmava que se uma mulher estivesse à frente do homem enquanto ele reza, a oração torna-se inválida.

O site refere: “Wynne não se queixou do rebaixamento das mulheres. Mesmo sendo da comunidade gay, não proferiu uma palavra sobre as declarações do imã da mesquita que visitou.”

Que declarações, perguntam vocês? De acordo com um artigo do Toronto Sun, o imã Wael Shehab disse:

A homossexualidade é um ato pecaminoso no Islão. Gostaria de citar a seguinte fatwa do Dr. Muzammil Siddiqi, presidente do Fiqh Council of North America

Devemos considerá-los pessoas que estão envolvidas em atos pecaminosos. Devemos lidar com eles como se estivéssemos a lidar com alguém que tenha problemas alcoólicos, de jogos ou de infidelidade. Temos que demonstrar repugnância pelos seus atos e devemos lembrá-los e avisá-los quanto a isso.

É, no entanto, interessante verificar que Wynne não teve problemas em queixar-se de homofobia quando as pessoas se revoltaram em relação às suas tentativas de reformular a educação sexual de Ontario, quando quis que as escolas ensinassem o género como construção social.

Texto original: https://milo.yiannopoulos.net/2017/02/canadian-politician-mosque-corner/

Tradução: Vitor Machado
Revisão: Israel Pestana

2 comentários

  • Mauro

    Parabéns ao Tradutores de Direita, por continuarem a divulgar a cara de pau e a vigarice da Esquerda (aqui representada pelo “feminismo” e o dito “movimento LGBT”), cujo único propósito na vida é adquirir o Poder Absoluto sobre tudo e sobre todos, não importa quantas mentiras, vigarices ou atos de selvageria precise praticar para obtê-lo.

  • José Silva

    Uma tonta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *