O melhor artigo sobre a correlação entre taxas de homicídios e leis de desarmamento

por David French

Não, não é de minha autoria. É de Eugene Volokh no Washington Post, e é excelente. Ele começa assim:

“Tem havido muita conversa recentemente — incluindo do Presidente Obama — sobre a existência de uma correlação substancial entre as taxas de mortalidade por arma de fogo a nível estadual e leis de armas em cada estado. Agora, obviamente, correlação não é igual a causa; pode haver muitos outros fatores que são as verdadeiras causas de ambas as coisas que estão sendo avaliadas. Mas se olharmos agora para a correlação, parece-me que a questão-chave deve se concentrar nas taxas totais de homicídios em cada estado, ou talvez (por razões que eu descrevo abaixo) nas de homicídio doloso total mais as taxas de morte acidental por arma de fogo. E verifica-se que não há essencialmente correlação nenhuma entre esses números e as leis de armas do estado.”

Volokh não aborda suicídios em sua análise, e os defensores do controle de armas, sem dúvida, contestam essa omissão, mas suas conclusões mesmo assim nos dizem:

“A correlação entre a taxa de homicídios e o Índice Brady em todos os 51 Estados é de +.032 (em uma escala de -1 a +1), o que significa que os estados com mais restrições legais para armas em média têm índices de homicídios ligeiramente mais elevados, ainda que a tendência seja tão pequena que chegue a essencialmente zero. (Se você omitir os índices de acidentes fatais com arma, em seguida, a correlação seria +.065, o que tornaria os estados com maiores restrição legais para armas de fogo ligeiramente piores; mas, novamente, a correlação seria pequena o suficiente para ser essencialmente zero, dadas todas as outras fontes de variação possíveis.) Se nós usamos os dados da National Journal (adicionando as colunas para cada estado, contando um para cada azul escuro, que se refere a restrições severas, 0,5 para cada azul claro, que se refere a restrições médias, e 0 para cada cinza, que se refere a nenhuma ou restrições leves), os resultados são semelhantes: 0,017 ou 0,051 omitindo-se os índices de acidentes fatais com armas. Você também pode montar essa correlação em minha planilha do Excel.”

Como observa Volokh, descobrir os efeitos de qualquer política governamental sobre as taxas de homicídio é “diabolicamente difícil”. Assim, as declarações simplistas sobre o controle de armas devem ser automaticamente suspeitas. Eu o encorajo a ler todo o artigo de Volokh. Poucas pessoas sabem mais sobre o debate de direitos de armas que Volokh, e poucos estudiosos são tão honestos e rigorosos.

Artigo de Volokh completo (em inglês)

Tradução: Guilherme Frederico Lamb

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *