Novo estudo indica a existência de oito psicólogos sociais conservadores

Por Jonathan Haidt [*]

Quanta diversidade de pontos de vista nós temos de fato na psicologia social? Em 2011 ninguém sabia, então eu perguntei a 30 de meus amigos no campo para dizer o nome de um conservador. Eles vieram com diversos nomes, mas apenas um “suspeito” admitiu, sob um interrogatório gentil, admitiu estar à direita.

Alguns meses depois, fiz uma palestra uma palestra na convenção anual da Sociedade de Personalidade e Psicologia Social (Society for Personality and Social Psychology) na qual apontei o desequilíbrio político da área e por que isto ameaça a qualidade de nossa pesquisa. Eu perguntei a cerca de mil pessoas na platéia para declarar sua visão política levantando a mão e estimei que cerca de 80% se identificaram como “esquerdistas”, 2% (Eu contei exatamente 20 mãos) identificada como ‘centrista ou moderado’, 1% (12 mãos) se identificaram como libertários, e quase 0%(3 mãos) se identificaram como ‘conservadores ou à direita’. Isto nos dá uma proporção de esquerda: direita de 266 para um. Eu não acho que a proporção real não é tão alta; Eu sabia que alguns dos conservadores da audiência provavelmente estavam com medo de levantar suas mãos.

Alguns de meus colegas questionaram a validade deste método público e tão simples, mas Yoel Inbar e Yoris Lammers conduziram uma pesquisa mais completa e anônima na lista de e-mail da Sociedade para a Personalidade e Psicologia Social mais tarde no mesmo ano, e eles descobriram uma proporção muito assimétrica: 85% dos 291 respondentes se identificaram como esquerdista e apenas 6% como conservadores.

Este resultado nos dá nossa primeira boa estimativa da proporção esquerda-direita na psicologia social: 14 para um. É um método muito mais válido do que o meu de levantar as mãos (que tinha a intenção de ser um instrumento retórico, não um estudo real). Mesmo assim, nós precisamos de mais dados, e nós precisamos buscar outros modos de fazer perguntas.

Um novo conjunto de dados surgiu. Bill Von Hippel e David Buss pesquisaram os membros da HYPERLINK Sociedade de Psicologia Social Experimental HYPERLINK (Society for Experimental Social Psychology). É uma sociedade profissional composta dos pesquisadores mais ativos no campo que é pelo menos à cinco anos pós-PhD. É bem seletivo – você deve ser nomeado por um membro atual e aprovado por um comitê antes de poder participar.

Von Hippel e Buss enviaram uma pesquisa na internet para 900 membros da Sociedade e tiveram uma proporção de 37%(335 respostas). Então esta é uma boa amostra das pessoas de nível médio e avançado (idade média de 51 anos) que produz a maior parte da pesquisa social. Von Hippel e Buss estavam pesquisando a visão dos membros sobre evolução, para tentar entender as razões do por que muitos psicólogos sociais não confiam ou não gostam de psicologia evolutiva. No fim da pesquisa, eles resolveram incluir um bom conjunto de medidas sobre identidade política. Não apenas autodescrições, mas também que a pessoa votou para a eleição presidencial de 2012. E eles fizeram nove perguntas sobre políticas públicas ideologicamente relacionadas, como “Você apoia o controle de armas?”, “Você apoia o casamento gay?” e “Você apoia as mulheres terem o direito de abortar?”

Em uma apresentação sobre a nova abertura e transparência que está se espalhando na psicologia social, Von Hippel e Buss enviaram os dados brutos e um resumo para todos os membros da sociedade, agradecendo-nos por nossa participação na pesquisa. Eles notaram que sua análise preliminar uma massiva inclinação à esquerda no campo – apenas quatro votaram em Romney. Então, eu enviei um e-mail a eles perguntando se eu poderia escrever análises posteriores das perguntas políticas e coloca-las no Heterodox Academy. Eles generosamente disseram sim, e então ela vai a seguir e com todos os arquivos relevantes disponíveis ao mundo no Open Science Framework (você pode baixá-los aqui).

Então aqui vão os resultados da distribuição política apenas (Von Hippel e Buss irão publicar um artigo muito interessante sobre suas principais descobertas sobre a evolução e moralidade em alguns meses). Há três modos que nós podemos traçar gráficos sobre os dados, baseados nos três modos que os participantes revelaram sua orientação política:

Auto descrições da identidade política:36 para um

Um item perguntou “Onde você se colocaria em um continuum de esquerdista para conservador?”. A escala de 11 pontos classificada como “muito progressista” no ponto extremo da esquerda e “muito conservador” no ponto extremo da direita. Se nós fizermos um gráfico de frequência (um gráfico de quantas pessoas escolheram cada um das 11 possíveis respostas), nós temos o seguinte:

Figura 1: autoclassificação política

O gráfico mostra que 291 das 326 pessoas que responderam a esta questão escolheram a classificação do lado da esquerda (89,3%), e apenas 8 pessoas (2,5%) escolheram do lado da direita, dado uma proporção de esquerda para a direita de 36 para um. Isto é muito maior que o encontrado por Inbar e Lammers. A maior fonte da diversidade política parece ser as 27 pessoas (incluindo eu) que se identificaram como centristas

Votação presidencial: 76 para um

Outro item perguntou: “Em quem você votou na última eleição presidencial (Se você não é um cidadão americano ou você não votou, em quem você gostaria de ter votado)?”. As opções eram: “Obama”, “Romney” ou “Outro”. Se nós fizermos um gráfico de frequência das 3 escolhas possíveis, temos o seguinte:

Figura 2: voto para presidente na eleição americana de 2012

O gráfico mostra que 305 das 322 pessoas (94,7%) que responderam a esta questão votaram em Obama, 4 (1,2%) votaram em Romney e 13 (4,0%) disseram que eles votariam em outro candidato. Isto nos dá uma proporção de democrata para republicano de 76 para 1

Visão sobre temas políticos: 314 para um

Um terceiro modo de traçar um gráfico para explorar a diversidade destes psicólogos sociais experientes é computar a pontuação média de todos os 9 itens sobre políticas ideologicamente relacionadas. Para cada um deles, os 11 pontos da escala foram classificados como “forte oposição’ na extremidade esquerda e “forte apoio” no extremo direito. Eu converti todas as respostas a mesma escala de 11 pontos usada na figura um de tal forma que “forte apoio” à posição progressista (ex. pró escolha) foi pontuada como -5 e “forte apoio” à posição conservadora (ex. orações na escola) foi pontuada como +5. Isto coloca os esquerdistas na esquerda e os direitistas na direita do gráfico. Aqui está o gráfico:

Figura 3: visões sobre as 9 questões políticas

Eu considerei qualquer um cuja pontuação média foi entre -1,0 e +1,0 (Eu inclusive) como um centrista. O gráfico mostra que 314 de 327 participantes (96,0%) te uma pontuação média abaixo de -1,0(ou seja, à esquerda), um tem uma pontuação média acima de +1,0(ou seja, à direita) e 12 foram centristas. Isto nos dá uma proporção de esquerda para a direita de 314 para um.

O que isto significa?

Qualquer que seja a forma de mensuração e para todas as amostras mensuradas até agora, a psicologia social pende fortemente para a esquerda e tem muitas poucas pessoas à direita. Os novos dados de Von Hippel e Buss confirmam a história que poucos de nós contaram em um artigo recente (Duarte, HYPERLINK Crawford, Stern, Haidt, Jussim e HYPERLINK Tetlock, 2015) no qual nós criamos o gráfico abaixo, que mostra quão rápido a psicologia tem se movido para a esquerda a partir da década de 90. A proporção de democratas para republicanos (Diamantes) e de progressistas para conservadores (círculos) era de 3 para 1 na maior parte do século 20. Mas, dispara no início da década de 90 quando a Geração Grandiosa se aposentou e os Baby boomers assumiram seu lugar.

Figura 4: A crescente proporção de esquerda para direita entre os psicólogos acadêmicos desde a década de 20 (detalhes em Duarte et al., 2015)

Por que isto importa?

A maioria das pessoas sabem que professores na América, e na maioria dos países, geralmente votam em partidos e políticas de esquerda. Mas poucas pessoas percebem o quão rápido as coisas mudaram desde a década de 90. Uma área acadêmica que pende à esquerda (ou direita) pode funcionar ainda, desde que as crenças ideológicas ou pesquisas politicamente motivadas possam ser questionadas. Mas quando a área vai de uma leve inclinação à esquerda para tornar-se totalmente de esquerda, as salvaguardas normais da revisão por pares e o falseamento institucionalizado quebram. Pesquisa sobre tópicos politicamente controversos se tornam não confiáveis por que conclusões politicamente favorecidas recebem menos escrutínio do que o normal, enquanto descobertas politicamente incorretas devem escalar montanhas de argumentação motivada e hostil de revisores e editores.

Eu considerado que a rápida perda de diversidade política, nos últimos 20 anos, serem a segunda maior ameaça existencial à área da psicologia social, depois “crise de replicação.” A área está respondendo construtivamente à crise de replicação. Será que também vai responder à crise de diversidade política? Ou vai continuar a pensar a diversidade apenas em termos de categorias demográficas que mais importam às pessoas da esquerda: raça, gênero e orientação sexual?

Eu não quero dizer que é um problema exclusivo da psicologia social. Esta é a área que eu conheço mais, mas o que nós aprendemos na Heterodox Academy é que este problema, esta rápida mudança para a purificação política, acontecem na maioria das áreas nas humanidades e ciências sociais nas últimas 2 décadas.

Um final otimista

Eu gostaria de terminar agradecendo meus colegas. Eu tenho criado um rebuliço com estes temas desde 2011. Naquela época, eu também mudei da esquerda para o centro politicamente. Eu não sou mais um progressista. Então você pode esperar que eu tenho sido ostracizado, mas não. Nada de ruim aconteceu comigo. Alguns dos meus colegas acreditam que o desequilíbrio político não é um problema. Mas a maioria das respostas tem sido basicamente: “Isto é realmente interessante. Nós de fato valorizamos a diversidade e nós concordamos com você e seus coautores que diversidade de pontos de vista é algo que dá mais benefícios aos grupos. Mas nossa! Como vamos ter mais?”

Esta é nossa missão na HeterodoxAcademy – descobrir como ter mais diversidade. Será difícil, mas pode e deve ser feito. Por favor, veja nossa “página de soluções.

Observações: Paul Krugman HYPERLINK recentemente se referiu a nós da HYPERLINK HeterodoxAcademy como ‘conservadores ofendidos’ e disse que o que é visto como uma mudança para a esquerda na academia era na verdade uma mudança para mais à direita do partido republicano desde a década de 90. Ele sugere que professores não mudaram suas visões políticas, eles apenas pararam de se identificar como republicanos conforme o partido foi para o extremo. Há de certamente alguma verdade no argumento de Krugman, mas ele não nega nossa afirmação de que a composição os professores realmente mudaram depois da Grande Geração se aposentar. O argumento de Krugman não poderia explicar o gráfico 3, por exemplo, no qual mostra apenas uma pessoas com visões sobre temas sociais à direita. Além disto, eu deveria apontar que a maioria de nós na HeterodoxAcademy não são conservadores, e se você ler tudo em nosso site, dificilmente encontrará uma evidência de estarmos “ofendidos”.

[*] Jonathan Haidt. “New Study Indicates Existence of Eight Conservative Social Psychologists”. Heterodox Academy, 7 de Janeiro de 2016.

Tradução: Pedro Henrique

Revisão: Israel Pestana

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *