Eu, o Smartphone

Se as inclinações naturais da espécie humana são tão más que não é seguro permitir que as pessoas sejam livres, como é que as inclinações destes organizadores [da sociedade] são sempre boas? Os legisladores e seus agentes nomeados também pertencem à espécie humana? Ou eles acreditam-se feitos de um barro melhor que o restante da humanidade? | 28

O vídeo que segue foi inspirado no artigo “Eu, o Lápis”, de Leonard Read (leia o artigo completo aqui).

Eu, o Lápis, sou uma combinação complexa de milagres: árvore, zinco, cobre, grafite e assim por diante. Mas a estes milagres que se manifestam na Natureza um milagre ainda mais extraordinário é adicionado: a configuração das energias criativas humanas, milhões de pequenos conhecimentos, natural e espontaneamente, configurando-se em resposta às necessidades e desejos humanos, e na ausência de qualquer planejador humano! Visto que apenas Deus pode fazer uma árvore, eu insisto que apenas Deus pode me fazer. O homem não pode dirigir estes milhões de conhecimentos para trazer-me à existência, assim como não pode juntar moléculas para criar uma árvore.

Tradução: Flávio Ghetti
Revisão: Hugo Silver

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *