Diana West: Em Direção à América Soviética

656

Em Direção à Sovietização

Toward Soviet America, escrito por William Z. Foster, presidente da CPUSA, foi publicado pela primeira vez em 1932. Anos depois as cópias do livro seriam caçadas e praticamente extintas de todas as bibliotecas e livrarias, o que foi presumidamente uma resposta às últimas diretivas de Moscou; mas certamente foi também um esforço para tentar colocar o plano Soviético-Americano de volta na mala. O livro seria impresso novamente 1961 prefaciado e comentado pelo presidente do Comitê do Senado em Atividades Não Americanas, o Republicano Francis E. Walter, que aconselhou a todos os americanos que lessem este livro como se fosse um projeto das intenções Soviéticas, similar ao Mein Kampf, que era um projeto de Hitler. A versão de 1932, hoje encontra-se disponibilizada na internet.

Livro Diana West

Livro Diana West

Pela primeira vez, eu consegui uma das cópias de 1961 na antiga biblioteca do falecido Stanton Evans. Abri o livro aleatoriamente, e me peguei lendo sobre como seria o futuro do mundo Soviético-Americano para um oficial do Partido Comunista de 1932, sob controle direto de Stálin. Oito décadas depois, é chocante ver quantas das profecias de Foster, aprovadas pelo Kremlin, tornaram-se verdade — mais evidências da extensão do que seria a “vitória” na dita Guerra Fria, foi na verdade uma derrota ideológica, particularmente na América. Este é o tema chave do desenvolvimento de American Betrayal.

Continua visível é que nada disso se tornou “história.” A partir das manchetes de hoje, por exemplo, é relatado que o FMI inclina-se a incluir o yuan Chinês no “cesto de moedas” par à par com o dólar. Isso não é grande novidade, faz parte do mais recente capítulo da contínua saga Comunista. Isso seria a China Comunista, com certeza, e seria também o mesmo FMI cujo primeiro diretor americano foi Harry Dexter White, um extraordinário agente Comunista membro das administrações Truman e Roosevelt, cujas maquinações pessoais em muito favoreceram Stálin, entre outros eventos de mudança mundial, como o cataclismo Comunista que tomou a China em 1949

Acontece que a “história” do Comunismo, do FMI à “revolução cultural” nos campos universitários e em casa, continuamente é notícia de última hora; ou, pior, o status quo. E perceba: Foster está usando a frase “revolução cultural” (abaixo) muitas décadas antes de Mao.

Começando na página 316, aqui estão algumas profecias, um mix de condições perceptíveis no presente dia a dia, e…?

Na educação:

“Entre as medidas elementares o governo Americano Soviético irá adotar para amplificar a revolução cultural, as seguintes: as escolas, colégios e universidades serão coordenadas e agrupadas em subdivisões estaduais e locais, sob o comando de um Departamento Nacional de Educação. Os estudos serão revolucionados, livres de conteúdo religioso, patriótico e outras características da ideologia burguesa. Os estudantes aprenderão na base da dialética materialista Marxista, internacionalismo e na ética geral da nova sociedade Socialista. Métodos obsoletos de ensino serão substituídos pela pedagogia científica.”

Na religião:

“As igrejas permanecerão livres para continuar seus serviços, mas o imposto especial e outros privilégios serão liquidados. Suas construções serão revertidas em propriedade do Estado. Escolas religiosas serão abolidas e organizações para educação religiosa de menores será proibida. A liberdade será estabelecida para propaganda anti-religiosa.”

Na ciência:

“Toda a base e organização da ciência capitalista será revolucionada. A ciência se tornará materialista, verdadeiramente científica; Deus será banido dos laboratórios e das escolas. A ciência será completamente organizada e trabalhará de acordo com o plano; ao invés das técnicas individualistas e superficiais de acerto e erro, haverá uma grande organização da ciência, amparada pelo poder total do governo. Esta organização fará ataques à problemas centrais, concretos e abstratos, que confrontam a ciência.”

Obamacare:

“Uma das principais preocupações do governo dos trabalhadores será, naturalmente, a conservação da saúde das massas. Para este fim, um Departamento Nacional de Saúde será instalado, com as necessárias subdivisões locais e estaduais. Um serviço médico gratuito, baseado em princípios científicos, será estabelecido. As pessoas aprenderão a viver corretamente. Elas receberão instruções em massa sobre dieta, cultura física, etc. A última meta será acabar com os impostores capitalistas que adulteram a comida e os medicamentos.”

A guerra contra os subúrbios:

“Uma das principais tarefas do governo Americano Soviético será tornar as cidades habitáveis. Isso envolverá não apenas a total destruição dos barracos que milhões de trabalhadores hoje chamam de casa, mas também a construção de espaçosas cidades Socialistas sob as congestionadas cidades capital. Elas serão desenvolvidas junto a descentraização da indústria e da população, a quebra das diferenças entre cidade e interior…”

Mais alguns trechos que mostram como os efeitos escalada comunista são perfeitamente visíveis nos mais variados tecidos da sociedade americana atual:

Sobre o crime (p. 321):

“O capitalismo culpa o indivíduo pelos crimes, ao invés das más condições sociais que o produziram…”

Sobre comércio (p. 326). Sob certos aspectos, esta é a descoberta mais chocante, dado o carimbo “comunista honesto-bondoso de aprovação” para o “livre comércio”

“Um mundo comunista será um mundo unido e organizado. [NB: lembrem-se, o agente Comunista e oficial do Departamento de Estado da administração Roosevelt, Alger Hiis, contribuiria muito para a existência da ONU]. O sistema econômico será uma grande organização, baseada no princípio do planejamento desenhado agora na URSS. O governo Americano Soviético será uma importante secção na organização do mundo. Nesta sociedade não haverá tarifas e outras barreiras erguidas pelo capitalismo contra um mundo com livre intercâmbio de mercadorias. O suprimento de matérias-primas do mundo estará a disposição de todos.”

E sobre aquelas “pessoas: (p. 327)

Não haverá lugar para o presente patriotismo, o fanático nacionalismo calvinista que serve tão bem os senhores capitalistas…”

Neste ponto, Foster expões os hosanas para a “ideologia da paz” da URSS,”planos para acabar com a guerra”, etc. (similar com doutrina da submissão do Islã).

Algumas páginas depois (p. 333)

“O individualismo mortal será exterminado”, ele escreve. “O coletivismo da sociedade Socialista, liberando as massas da escravidão política e econômica,  pela primeira vez na história, dará à ela as oportunidades para desenvolverem completamente suas personalidades.”

Não olhe agora mas esta última previsão é algo que a Nancy Pelosi explicitamente defende como benefícios benefício do Obamacare.

Foster: “a individualidade deles crescerá harmonicamente com o interesse coletivo.”

A “previsão” mais assustadora de todas.

Tradução: Hélio Costa Jr.
Revisão: Flávio Ghetti

Fonte: http://goo.gl/NXsf0d

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *