Como uma coalizão entre grupos de estudantes conservadores (incluindo Universitários Republicanos) pode funcionar

Por Tony Listi [*]

Muitos estudantes conservadores estão envolvidos em grupos partidários como os Universitários Republicanos, e vêem os grupos não-partidários como redundantes, desnecessários e sem importância.

Mas na verdade grupos conservadores não-partidários possuem várias vantagens sobre os grupos partidários:

Os princípios estão acima do Partido ou da Pessoa: os grupos conservadores são mais propensos a serem e permanecerem de fato conservadores. A missão desses grupos é permanecerem fiéis a princípios imutáveis e eternos em vez de seguir plataformas partidárias que podem mudar ao longo do tempo, ou a políticos que sacrificam os princípios por causa do medo ou do auto-interesse. Que sentido faz vencer se você não vai usar o seu poder e influência para promover princípios e políticas conservadoras?

Maior Dedicação: Como os grupos não-partidários são explicitamente e inerentemente fundados sobre princípios, os membros desses grupos tenderão naturalmente a ser mais empenhados. Pessoas que são mais empenhadas em uma causa que é íntegra por si mesma do que por um partido ou líder carismático são os indivíduos mais empenhados do mundo.

Recursos disponíveis: Os recursos à disposição de grupos conservadores não-partidários são muito maiores do que os disponíveis para grupos partidários. Há uma grande variedade de organizações conservadoras sem fins lucrativos como o Leadership Institute, que não podem nem querem engajar-se ou apoiar a política partidária.

Clique Aqui para conferir os benefícios que os grupos de estudantes reconhecidos pelo Leadership Institute possuem! Observe as relações midiáticas, publicitárias e principalmente a assistência no levantamentos de fundos.

Um Público Maior para Recrutamento e Apoio: Mais americanos se identificam como conservadores do que com qualquer outra filiação partidária.

Mas justamente por serem não-partidários, os grupos conservadores possuem vantagens que não necessariamente significam que grupos partidários sejam desnecessários ou não cumpram um papel vital na coalizão de grupos universitários.

A fim de capacitar o maior número possível de jovens líderes conservadores dedicados e eficientes, e ganhar batalhas políticas tanto nas universidades quanto fora delas, é necessária uma coalizão de vários grupos conservadores.

Quanto mais grupos em qualquer campus melhor, desde que cada um deles tenha um líder-organizador eficiente. A esquerda tem toneladas de grupos de estudantes em qualquer universidade e não apenas os Universitários Democratas, e por isso eles são bem sucedidos. Os conservadores deveriam ter o mesmo número de grupos, se não mais.

A chave para o sucesso do movimento é a especialização:

Qualidade: Grupos monotemáticos especializados são os que costumam atrair o apoio mais empenhado e entusiamado tanto de estudantes quanto de não-estudantes, algo que pode ser bem aproveitado.

Formação de Lideranças: Mais grupos significam mais oportunidades para os alunos assumirem papéis de responsabilidade e tornarem-se líderes.

Divisão de trabalho: Grupos monotemáticos especializados também podem divulgar e atuar na sua área de estudo de forma mais regular, contínua e eficaz do que um grupo conservador generalista, que deve dividir o seu tempo, recursos e energia entre muitas questões. Por que um grupo deveria fazer tudo e realizar pouco quando se pode ter muitos grupos, cada um concentrado num único problema, e obter assim mais resultados?

Quantidade: A especialização, de um modo geral, também traz mais pessoas para o movimento do que um único grupo conservador generalista atrairia. Ela também ajuda a dispersar a tensão entre os estudantes de centro-direita que não concordem em todos os assuntos.

Estão aqui oito grupos que uma coalizão conservadora universitária completa deveria incluir:

Grupos partidários e não-partidários desempenham papéis distintos na coalizão universitária.

Os grupos não-partidários devem concentrar seus esforços no campus em atividades culturais e institucionais e nas campanhas e eleições primárias republicanas. Grupos partidários tais como os Universitários Republicanos devem se concentrar nas eleições gerais depois de, esperançosamente, um conservador de princípios ter conquistado a nomeação republicana. Os grupos conservadores não-partidários devem ajudar os conservadores a ganharem as primárias republicanas; os Universitários Republicanos devem então ajudar esses republicanos conservadores a serem eleitos.

As atividades dos grupos de estudantes conservadores não-partidários devem mudar a cultura política e o debate político no campus tanto quanto possível para a direita. Dessa forma os Universitários Republicanos poderão ocupar uma posição mais central num espectro político assim deslocado. (Clique Aqui para saber mais sobre esta estratégia chamada “Deslocando a Janela de Overton”!) Os líderes dos Universitários Republicanos precisam compreender plenamente esta estratégia e perseverar quando a esquerda tentar resistir e desacreditar esse deslocamento. Os republicanos não devem sacrificar os movimentos democráticos de ativistas conservadores. Os Republicanos devem resguardar os ativistas conservadores de tornarem-se boi de piranha.

Se ambos os grupos, partidários e não-partidários, compreenderem o quadro geral da coalizão e como o papel de cada um se encaixa nesse quadro geral, tanto o movimento conservador quanto o Partido Republicano organizado nas universidades conquistarão mais vitórias políticas.

Como será essa implantação da coalizão conservadora nas universidades?

O grupo conservador generalista deve ser a base da coalizão. Cabe a ele o dever crucial de estabelecer e sustentar a coalizão universitária. Este grupo deve tornar-se permanente, sediar-se no próprio campus e funcionar como um departamento de recursos humanos para o movimento:

  • Identificar, recrutar e formar líderes para que estes dêem início aos demais grupos da coalizão
  • Educar e inspirar o comprometimento aos princípios conservadores
  • Fornecer à outros grupos da coalizão serviços de mão-de-obra, pesquisas, treinamento e outras formas de orientação e assistência
  • Dirigir a coligação em dois projetos cruciais que se beneficiem mutuamente: a condução de pesquisas de opinião no campus, e entre alunos e patrocinadores.

Trabalhando em conjunto, os membros da coalizão podem ajudar uns aos outros a identificar as questões mais polêmicas entre estudantes, patrocinadores, ex-alunos, pais e outras entidades de apoio e encaminhá-las para os grupos apropriados, onde serão trabalhadas com mais atenção. Seu tempo, energia, trabalho, recursos e fundos são cruciais para uma mudança real no campus e fora dele.

Esta coalizão somente funciona quando os líderes estudantis entendem a eficácia na adoção de diretrizes e da coordenação de movimentos [de base] integrados de forma harmoniosa. Sacrifica-se muito pouco dos interesses dos grupos individuais, já que os ganhos mais que compensam o investimento do trabalho em equipe. A coalizão também exige que os líderes se dêem bem uns com os outros e trabalhem juntos mesmo que não concordem 100% em todas as questões. É algo que requer muita dedicação, mas as recompensas são imensas e duradouras!

Algumas características organizacionais desta coalizão a permitirão operar com eficiência prática:

Filiações Múltiplas/ Reuniões Conjuntas entre Grupos: Inicialmente, se está se começando do zero, um grupo inicial de oito conservadores ou menos podem se organizar da seguinte forma: cada um deles pode se tornar o líder de um “grupo” conservador e ser membro dos outros “grupos” da coalizão. Esses grupos de estudantes podem realizar reuniões conjuntas para discutir o progresso no aumento da adesão aos grupos individuais. Cada líder pode ajudar os demais no recrutamento para seus grupos. O foco das reuniões conjuntas deve ser a construção e fortalecimento da organização como um todo.

Reuniões Entre os Líderes: À medida que aumenta o número de membros em cada grupo individual, as reuniões conjuntas devem dar lugar a reuniões em separado dentro de cada grupo da coalizão. As reuniões conjuntas devem se transformar em encontros apenas entre os líderes dos grupos individuais. Os pontos principais desses encontros devem ser a comunicação e a coordenação (articulação) dentro da coalizão e projetos conjuntos de pesquisas e atividades.

Para formar um grupo conservador não-partidário em seu campus, entre em contato com seu Coordenador de Área Regional para conselhos, assistencia, e outros tipos de ajuda nessa empreitada.

[*] Tony Listi. “How a Coalition of Conservative Student Groups (Including College Republicans) Should Work”. Conservative Colloquium, 7 de Julho de 2011.

Tradução: Felipe Alves

Revisão: Duanne Scremin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *