Chicks on Right: Por que conservadores decidem se empenhar na cultura pop

Por Amy Jo Clark and Miriam Weaver [*]

Os conservadores estão péssimos na cultura pop. Vamos apenas refletir sobre isso durante um segundo.

Sempre que postamos algo sobre a cultura pop em nosso website, ou falamos sobre celebridades em nosso programa de rádio, nós inevitavelmente recebemos queixas de nossos leitores e ouvintes de que deveríamos abordar assuntos mais sérios, que deveríamos nos “ater a política” e ignorar notícias sobre celebridades por completo.

No entanto, com a cultura pop e casos envolvendo celebridades aumentamos em 10x nosso tráfego, atenção e comentários. Isso é algo desconexo, e exemplifica o que queremos dizer quando falamos que os conservadores vão mal na cultura pop. Essa é, de várias formas, uma relação de amor e ódio.

Tanto pessoas de direita quanto de esquerda estão atentos a cultura pop, normalmente como um prazer proibido. Ninguém admite que se importa, mas nós nos importamos, e isso é o bom, pois a cultura pop é a principal coisa que faz os americanos se conectarem. Republicano ou Democrata, direita ou esquerda a cultura pop e a política estão intimamente ligadas. E os políticos que compreendem isso serão sempre os com maior popularidade.

Algumas semanas atrás, no meio do tumulto em torno do Kylie Jenner Challenge, as críticas que enfrentamos até mesmo para mencionar isso se intensificou. As mesmas pessoas que se queixaram de estarmos postando detalhes irrelevantes sobre Kylie Jenner clicaram no artigo sobre ela, e ignoraram os vários artigos sobre questões políticas que escrevemos regularmente. Isso é de praxe. As pessoas não gostam de admitir que se interessam e até mesmo gastam seu tempo lendo matérias da cultura pop, mas os números não mentem. É esse tipo de matéria que atrai facilmente as pessoas.

Sejamos francos: Kylie Jenner e sua família [os insuportáveis Kardashian] influenciam as pessoas. Podemos não gostar, e podemos resignar-nos, mas ignorar [esse fato] não adianta de nada. Quando os Kardashians falam, as pessoas ouvem. Uma coisa é certa, a pessoas que os ouvem são muitas vezes os eleitores mal informados ou desinformados, mas eles votam apesar disso. E nós, como conservadores devemos tornar essa conversa justa.

Os conservadores precisam se engajar na guerra da cultura pop, porque ela agora vence as guerras eleitorais. Devemos melhorar no jogo, porque a cultura pop tem um impacto na política de uma forma da qual os conservadores têm subestimado por muito tempo. Observe o presidente Obama. Ele é um mestre no uso da cultura pop para a sua própria vantagem e habilmente fez de si mesmo um ícone da cultura pop de um modo que poucos políticos tiveram êxito. Desde dançar no set do programa da Ellen DeGeneres, aparecer no Between Two Ferns com Zach Galifianakis, para ser entrevistado por celebridades do YouTube – Obama sabe como atingir os milhões de pessoas que nunca iriam clicar em um link do Drudge Report ou assistir a um noticiário. Ele os alcança até onde eles vivem.

Os conservadores, incluindo nós, normalmente zombam dele por isso. Nos aborrecemos e dizemos coisas como: “Ele é uma desgraça para exercer o cargo” e “Este comportamento é inapropriado para um presidente,” enquanto que secretamente desejamos que os políticos conservadores o vencessem em seu próprio jogo.

É hora de parar de sermos discretos nesse aspecto, e empregar as mesmas táticas se quisermos começar a ganhar o jogo. Na verdade, é uma necessidade, se os conservadores têm qualquer esperança de livrar o país dos progressistas que brilhantemente tiram vantagens do uso da cultura pop. Políticos bem-sucedidos são aqueles que reconhecem que a cultura pop representa a voz do povo. Não podemos simplesmente vê-la como uma força destruidora de moralidade. Precisamos nos tornar tão adaptáveis como os esquerdistas em mobilizar pessoas com isso.

Em nosso livro, Right for a Reason, oferecemos várias ideias sobre as formas do GOP apresentar o conservadorismo do modo que acreditamos ser necessário. Que inclui o uso de cultura pop – desenvolvimento de talentos em todas as mídias (TV, filmes, música) para que a mensagem conservadora possa ser entregue de formas que atinjam as pessoas onde elas vivem. Nós, as Chicks on Right, não somos políticos com experiencia, mas somos espertas o suficiente para entender quais matérias atraem as pessoas – e as mantêm fiéis. O sucesso do nosso website é a prova disso.

Então, se você é uma dessas pessoas que nos critica por usarmos matérias de celebridades ou notícias da cultura pop, considere o fato de você provavelmente ter clicado ou acessado por conta própria. E então considere o que isso significa em grande escala.

Não podemos ganhar se não participarmos. É hora de os conservadores entrarem no jogo.

[*] Amy Jo Clark and Miriam Weaver. “Chicks on Right: Why conservatives need to embrace pop culture”. Indy Star, 7 de Maio de 2015.

Tradução: Rodrigo Carmo

Revisão: Israel Pestana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *