A Vida após o Aborto

Quem tem autoridade de falar algo sobre o aborto? Serão as feministas, partidos progressistas, ou ainda todo o levante de organizações bilionárias que suportam a agenda abortista? Nós preferimos dar a palavra à mulheres como as do vídeo abaixo, que contam suas experiencias pessoais de “Vida após o Aborto”.

 

Martin Hudáček – The Child Who was Never Born

 

Quando feministas saem gritando nas ruas “meu corpo, minhas regras”, insistindo estar velando pela liberdade pessoal de cada mulher, não mencionam também as verdadeiras consequências psicológicas e fisiológicas de que o aborto provoca no corpo e vida da mulher que o faz. No entanto não podemos ficar calados e fazemos questão de mostrar alguns pontos, juntamente com esse vídeo, sobre as reais consequências do aborto:

– Sentimentos de remorso e culpa;

– Oscilações de ânimo e depressões;

– Choro imotivado, medos e pesadelos.

– Queda na autoestima pessoal pela destruição do próprio filho;

– Frigidez (perda do desejo sexual);

– Aversão ao marido ou ao amante;

– Culpabilidade ou frustração de seu instinto materno;

– Desordens nervosas, insônia, neuroses diversas;

– Doenças psicossomáticas;

– Depressões;

– Abortos espontâneos subsequentes

– Infertilidade, em determinados casos

 

Tenha coragem de optar pela vida e pela família. As recompensas do sorriso de uma criança valem muito mais do que uma pretensa liberdade que pode terminar numa prisão de memórias.

 

Texto e Tradução: Israel Pestana

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *